O pesadelo de grande parte dos brasileiros já tem data para começar. À meia-noite deste domingo, 18 de outubro, terá início o horário de verão em nove estados – Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná – e no Distrito Federal. 

Até o dia 21 de fevereiro de 2016, os relógios nessas localidades deverão estar adiantados em uma hora, com o objetivo de economizar energia, como informado pelo Ministério de Minas e Energia (MME). “O horário de verão se justifica principalmente pela mudança do horário de pico de consumo, que normalmente ocorre das 18h às 21h”, diz o órgão.

Prejuízos

Mesmo com o argumento do MME em defesa da economia de energia, o horário de verão não é unanimidade, principalmente pelos efeitos físicos causados pela mudança. De acordo com análise publicada no The New England Journal of Medicine, na primeira semana do novo horário houve aumento de 5% nos ataques cardíacos na população em geral. Mau humor e sonolência no trabalho também são reflexos da mudança de horário.

O risco de desidratação também aumenta, diz o diretor da Sociedade de Cardiologia do Estado do Rio de Janeiro (Socerj), Cláudio Tinoco, em entrevista à Agência Brasil. De acordo com o especialista, é necessário se hidratar antes ou evitar atividades físicas sob o sol no período das 10h às 15h. “São os horários de pico de incidência de raios ultravioleta e de maior calor”, explica.