O não fornecimento do café da manhã e do lanche da tarde aos empregados – caracterizado como grave descumprimento da Convenção Coletiva da categoria – é uma das denúncias mais recorrentes que chegam ao sindicato. Mas com o agravamento da suposta crise econômica no País, as acusações de atraso no pagamento dos funcionários têm sido cada vez mais frequentes.

É o caso da empresa Gynglass Vidros e Esquadrias Ltda. Funcionários denunciam salários atrasados. De acordo com os opeários, os patrões alegam que só vão efetuar o pagamento quando as encomendas dos clientes forem terminadas. Os empregados também dizem que as horas extras não têm sido pagas e, neste caso, a justificativa da empresa é ainda pior: quem tiver insatisfeito, que peça as contas.

A denúncia escancara uma triste realidade do trabalhador brasileiro: quando a crise aperta, os patrões descontam logo nos empregados. São os primeiros a sofrer os efeitos da recessão. O SindMetal-GO já encaminhou ofício à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego solicitando uma auditoria nos documentos da empresa.