23/05/2016

Uma ação descumprimento da convenção coletiva que tramita na 15ª Vara do Trabalho de Goiânia contra a Guachuka Cercas Elétricas acabou em acordo, depois que foi realizada a primeira audiência, por falta do pagamento do prêmio de assiduidade e pontualidade aos empregados. A empresa não pagava o benefício há 29 meses e, para evitar uma condenação em sentença, resolveu fazer uma proposta de acordo.

Pelo atraso, ela irá pagar cerca de 28 mil reais aos oito empregados que fazem jus ao benefício. O menor valor individual será de R$ 735,00 e maior de R$ 3.666,00 de acordo com o tempo de casa de cada um. O pagamento será parcelado em 12 vezes e depositado na conta dos beneficiados.

A assembleia dos operários que aprovou os valores ofertados foi realizada pelo sindicato no dia 18 de maio, nas dependências da própria empresa. Em sua argumentação, a empresa alegou que não pagou o prêmio porque a máquina de registro do ponto não estava funcionando devidamente, atestando a incompetência do departamento de Recursos Humanos da Guachuka em controlar a folha de pagamento dos seus empregados.