Segundo ele, pessimismo com economia brasileira é injustificado. Ministro disse que não adotará medidas que tragam dúvidas a investidores

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta segunda-feira (19), que o governo fará tudo para combater a inflação. “O governo sempre deixou claro que não tolera inflação acima da meta e fará tudo o que é necessário para combatê-la”, disse, afirmando que o cenário é desafiador.

“Se inflação foi um problema no fim do ano passo e no começo deste ano, os indicadores mais recentes mostram uma desaceleração expressiva que levará a recomposição do poder de compra da população e deverá restabelecer a confiança e o consumo das famílias”, disse.

Para ele, o pessimismo em relação à economia brasileira é injustificado e disse acreditar que o crescimento do PIB do país no segundo trimestre será maior que o do primeiro, que foi de 0,9%. “mesmo assim, alguns analistas insistem em um quadro pessimista, de um pessimismo infundado”, disse o ministro durante evento em São Paulo.

Ele apontou que a situação econômica do país começou bem o ano, mas foi prejudicada a partir de maio, por conta da desconfiança em relação à continuidade de estímulos nos EUA. “foi esse fenômeno talvez o principal responsável pela quebra de confiança em relação aos países emergentes e por provocar a desvalorização de várias moedas”, disse.

Ele lembrou ainda que o BC e o Tesouro trabalham para dar liquidez à moeda e repetiu que os investidores “têm de ficar atentos a eventuais exageros de mercado”. Exacerbar o nível do câmbio é costume do mercado, mas “cabe ao governo mitigar esses impactos”.

Questão fiscal

O ministro disse ainda não adotará mais medidas que tragam dúvida aos investidores. “Nunca adotamos qualquer medida fiscal que fira a legislação, mesmo assim, já me comprometi e volto a fazer agora, a não adotar mais nenhuma medida administrativa que suscite alguma dúvida sobre a nossa política fiscal”, disse.

Ele reforçou que o governo está atento ao tripé de meta fiscal, câmbio flutuante e superávit primário. “Praticamos uma política fiscal que segue reduzindo a dívida pública”, disse.

Mantega destacou ainda que os investimentos são prioridade do governo e que os programas de concessões estão sendo moldados para serem atrativos ao setor privado.

Fonte: G1