Contratações já começaram, com chances de 15% em uma futura efetivação

Com a aproximação do final do ano, as empresas começam a ampliar o quadro de funcionários. A atitude é estimulada pelo Dia da Criança, que começa a demandar uma produção maior. O resultado é que nos próximos meses serão contratados 155 mil temporários em todo o País.

Em Goiás, quase 6 mil devem ser empregados nesta situação. Desse total, 15% têm chance de efetivação. O comércio será res­ponsável por 75% dessas vagas e a indústria empregará 25%. As informações são da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem) e do Sindicato das Empresas Pres­tadoras de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Tem­porário do Estado de São Paulo (Sindeprestem). As contratações começam imediatamente.

No Centro-Oeste são previstas 13.547 contratações. Com 5.875 oportunidades, Goiás deverá contratar 43,36% do total da região, seguido pelo Mato Grosso (3.085 temporários), Distrito Federal (2.418) e Mato Grosso do Sul (2.170).

A jovem Marlene Xavier dos Anjos, de 19 anos, não perdeu tempo e se antecipou à maioria dos jovens que buscam emprego. Ela fez seu cadastro em uma agência do Sistema Nacional do Emprego (Sine), em Goiânia, e já garantiu uma oportunidade. “Recebi o encaminhamento na hora”, diz dos Anjos.

Ela não faz muitas exigências quanto ao cargo, desde que seja de atendente, recepcionista ou secretária. “Qualquer um desses serve. O importante é estar empregada”, diz ela. Recentemente, dos Anjos trabalhou em uma loja de eletrodomésticos por três meses e está desempregada há dois. “Não deu certo e não está fácil conseguir um novo emprego”, conta.

Setor comercial

De agora em diante vai ficar bem mais fácil, principalmente no comércio, que, neste ano, contratará uma fatia maior de trabalhadores que a indústria mais cautelosa no recrutamento. O setor deve empregar 4.406 trabalhadores temporários, somente em Goiás.

Presidente da Federação do Comércio de do Estado de Goiás (Fecomércio-GO), José Evaristo dos Santos diz que o comércio trabalha sob boas expectativas para 2012 e, por isso, precisará de mais profissionais neste final de ano.

Fonte: O Hoje (GO)