O Índice de Preços ao Consumidor Amplo–15 (IPCA-15) de novembro registrou a maior taxa em Goiânia, com 0,77%, contra 0,38% da média nacional. Os dados foram divulgados ontem pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e são referentes ao período de 14 de outubro a 12 de novembro.

No mês passado, o IPCA-15 tinha sido mais alto em Brasília, com 0,73%, mas a inflação na capital federal caiu para 0,15% com a redução de 6,5% no preço das passagens aéreas.

Em Goiânia, o índice variou de 0,70% para 0,77% influenciado pelos combustíveis, que registraram inflação de 6,77%. A gasolina, com 6,72%, e o etanol, com 10,38%, contribuíram para que esse grupo impactasse o resultado com 0,44 ponto porcentual. São os primeiros sinais do reajuste de 3% praticado pela Petrobras nas refinarias desde o dia 7 deste mês.

Porto Alegre, São Paulo, Curitiba, Rio de Janeiro, Salvador e Brasília tiveram inflação menor que no mês de outubro. São Paulo, que tem peso de 31,68% no índice geral, teve redução da variação de preços de 0,53% para 0,38%.

No Recife, o IPCA-15 variou de 0,31% em outubro para 0,39% em novembro. Em Fortaleza, também houve alta da taxa, de 0,41% para 0,49%, assim como em Belém, (de 0,04% para 0,66%). Belo Horizonte também variou acima do mês anterior, com 0,37% contra 0,34%.

Fonte: O Popular