A produção industrial deverá encerrar o ano com um crescimento de 1,5%

A despeito do razoável desempenho ao longo de junho, com expansão de 1,9% na série com ajuste sazonal sobre maio, a produção industrial deverá encerrar o ano em curso com um crescimento de 1,5% em relação à queda de 2,5% no fechamento do ano passado.

A previsão é da equipe de especialistas da GO Associados, comandada pelo analista Fábio Silveira. De acordo com a consultoria, a expectativa em relação à atividade fabril em 2013 se forma no âmbito de um cenário de menor dinamismo da economia chinesa.

Sobre a variação da atividade fabril em junho – expansão de 1,9% na leitura com ajuste sazonal -, a equipe da GO Associados a relaciona à evolução favorável do varejo em decorrência da expansão da massa real de rendimento e do crédito e do melhor desempenho das exportações em virtude da desvalorização do real no segundo trimestre.

As vendas do varejo, segundo o IBGE – os dados disponíveis são de maio – ficaram estáveis, mas cresceram 4,5% na comparação com maio do ano passado. As exportações em junho somaram US$ 21,227 bilhões para um total de US$ 18,833 bilhões em importações.

A massa de renda real habitual dos trabalhadores em junho manteve-se estável na comparação com maio, mas cresceu 1,5% em comparação com junho do ano passado e o dólar em junho fechou com alta de 3,91% na passagem de maio para junho, acumulando 9,10% de alta no semestre.

Fonte: Diário da Manhã (GO)