Presidente da General Motors do Brasil, Grace Lieblein, disse ontem, em Goiânia, que espera que o governo federal mantenha o IPI reduzido

A redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) deu um novo fôlego ao mercado brasileiro de automóveis. Graças a essa ajuda e ao lançamento de novos produtos no mercado, a General Motors do Brasil espera incrementar suas vendas em 3% este ano, chegando a 670 mil unidades, ante os 650 mil comercializados em 2011.

A informação é da presidente da GM do Brasil, Grace Lieblein, que esteve ontem em Goiânia para entregar o prêmio Concessionária Classe A para duas revendas da marca – Jorlan e Cical – bem como visitar a Tudo Chevrolet.

A GM está encerrando uma fase de investimentos de R$ 5 bilhões, que começou em 2008, e estuda diferentes alternativas para produtos e unidades industriais para os próximos três a cinco anos. De acordo com Grace, a marca vai continuar investindo no Brasil, pois tem confiança no País onde está há 87 anos com muito sucesso. “Precisamos continuar renovando o portfólio de produtos e nossas fábricas, como estamos fazendo agora”.

Ela manifesta otimismo em relação ao mercado brasileiro, que está crescendo, enquanto o resto do mundo está num ritmo mais fraco. “Brasil é um bom lugar para investir”, avalia. A GM ainda fará mais dois lançamentos este ano: o hatch Ônix, que vai substituir o Corsa, será apresentado no fim de outubro, durante o Salão do Automóvel, em São Paulo, e a nova Blazer.

A presidente da GM do Brasil diz que elevar o market share não é o principal objetivo da montadora, mas sim ser a melhor marca na opinião dos consumidores. Segundo ela, isso será possível através dos produtos que a GM está lançando este ano (sete no total) e de sua história no País, “além de um serviço excelente aos clientes, como os das concessionárias goianas”.

Grace Lieblein espera que o governo federal também dê sua contribuição para o aumento das vendas, mantendo a redução do IPI, que está acelerando as vendas no mercado. “Isso não é bom apenas para as montadoras, mas para a geração de empregos em todo País”, argumenta.

PRÊMIO

Para ela, o mercado goiano é muito dinâmico e abriga concessionárias fortes, por isso a Jorlan e a Cical conquistaram o prêmio de Concessionária Classe A, concedido pela montadora, que tem critérios rígidos de avaliação. Só 93 concessionárias da marca, de um total de 600 em todo País, conquistaram este prêmio. “Avaliamos muitos itens, como serviços, satisfação do cliente, área de vendas e instalações. Eles são os melhores dos melhores”, afirma.

O diretor presidente do Grupo Jorlan, Orlando Carlos Júnior, disse que hoje a GM só perde para a Volkswagen no mercado goiano. “Sempre disputamos o segundo lugar com a Fiat, mas este ano estamos conseguindo ocupar essa posição”, conta. Segundo ele, a expectativa é de um crescimento expressivo com os novos produtos que a GM está colocando no mercado. “Tínhamos uma previsão conservadora de 3% de crescimento da Jorlan no início do ano, mas acho que vamos conseguir atingir cerca de 7%”, prevê Orlando.

Com a ajuda da redução do IPI, já houve uma melhora nas vendas, que deve continuar. O Grupo Jorlan espera vender cerca de 60 mil veículos este ano em suas 16 concessionárias espalhadas por Goiás, Distrito Federal e Belo Horizonte, dos quais 4 mil em Goiânia.

Fonte: O Popular (GO)