Foto: Reprodução G1

Uma geladeira transformada em biblioteca itinerante foi colocada cheia de livros nesta quarta-feira (19) no Terminal Isidória, em Goiânia. O projeto, chamado de “Gelateratura”, pretende incentivar a leitura na capital. Os passageiros do transporte coletivo vão poder pegar exemplares, levar para casa e depois devolvê-los.

De acordo com o escritor Cristiano Deveras, um dos idealizadores da geladeira, a ideia é que o projeto cresça cada vez mais. “A gente quer que este movimento aumente no sentido das pessoas começarem a trazer mais livros e interagir cada vez mais com estas leituras. É uma plataforma existente no mundo todo que não poderia ficar de fora de Goiânia”, disse.

O Projeto Gelateratura é desenvolvido pela Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos em parceria com a Oficina Cultural Geppetto, Academia Goiana de Letras (AGL) e Prefeitura de Goiânia. As pessoas podem pegar os livros sem qualquer tipo de controle e levá-los para casa para fazer a leitura.

De acordo com os organizadores, a previsão é utilizar geladeiras recolhidas pelo projeto Cata-Treco para implantar a biblioteca em outros terminais da capital.

Dentro da geladeira há dezenas de livros da literatura clássica mundial e brasileira, com vários exemplares de escritores goianos, como Cristiano Deveras. A presidente da AGL, Lêda Selma, doou 100 livros para a primeira geladeira. Segundo ela, o projeto também é uma oportunidade para a população conhecer a literatura goiana.

“É muito triste você chegar em uma escola e escritores notáveis, conhecidos pela academia, não serem conhecidos pelos estudantes. Este projeto vem pra construir uma nova realidade, democratizar a leitura, a nossa cultura, o bairrismo e também mostrar que a Academia Goiana de Letras não é uma entidade fechada, que nós temos que estar presentes na cultura da população”, disse.

Para o diretor técnico da CMTC, Sávio Afonso, a presença da biblioteca itinerante no terminal faz com que o transporte seja mais humanizado. “Nós devemos valorizar e incentivar a cultura no cotidiano da vida das pessoas. Enquanto eles embarcam e desembarcam no meio da rotina agitada, entre o trabalho e os estudos, acabam por ter também a oportunidade de lidar com um universo gigantesco que é a leitura”, disse.

Fonte: G1