O consumidor que quer economizar ao menos um pouco na hora de abastecer deve encher o tanque nesse final de semana, pois a previsão é que a gasolina aumente 8% nos próximos dias. O valor médio do combustível nas bombas deve ser encontrado por volta dos R$ 3,50.

O governo publicou nesta semana, no Diário Oficial da União, a mudança na alíquota do PIS e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) a partir de domingo (1º) – para compensar a espera de 90 dias para poder voltar a cobrar a Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), zerada desde 2012, com o intuito de engordar os cofres públicos.

A Petrobras, por sua vez, já informou que o aumento de tributos será repassado integralmente aos clientes das refinarias. O presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindiposto) de Goiás, José Batista Neto, prefere aguardar para ver se, na segunda-feira, os preços nas distribuidoras estarão realmente mais caros.  “Estamos ainda em dúvida do que vai acontecer. Espero na segunda-feira, quando os donos de postos forem nas distribuidoras, para analisar a nota fiscal emitida e ver se aumentou ou não”, afirma.

“Torcemos para que isso não ocorra (aumento), porque pode diminuir a demanda e tornar um cenário ainda pior para o consumidor. Um aumento de R$ 0,22 no litro do combustível é algo realmente ruim para todos. Em 100 litros de uso, por exemplo, o consumidor pode gastar mais R$ 22. Esse consumo às vezes acontece em uma semana”, complementa o presidente.

Essa é a realidade do garageiro Manoel Fernando. Ele fez as contas e consome, em média, R$ 400 por mês. Com a alta já para o mês que vem, Manoel deve gastar em torno de R$ 432.

“É um absurdo. Tenho várias contas e todas elas estão aumentando. No fim do mês aperta e com mais essa da gasolina ficará ainda mais complicado”, relata.

Preço acima do internacional

Com a queda do preço do petróleo, a Petrobras passou a vender os combustíveis com um prêmio expressivo em relação a valores internacionais. O preço da gasolina nas refinarias do Brasil já está quase 70% acima do preço da referência internacional do combustível, segundo cálculos do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE). Trata-se da maior diferença desde o final de outubro.

Demanda por etanol deve crescer

A decisão do governo de aumentar os tributos sobre a gasolina deve tornar o etanol ainda mais atrativo para o consumidor, aumentando assim a demanda pelo biocombustível nos postos da capital.

“A expectativa para o setor é que a procura pelo etanol possa realmente aumentar e tornar o produto ainda mais competitivo em relação à gasolina”, avalia o presidente do Sindicato das Indústrias de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg), André Rocha.

De acordo com ele, a produção no centro-sul já foi concluída. Portanto, em um momento de entressafra, o preço do etanol também pode subir nas bombas de combustíveis de Goiânia. “Pode haver uma elevação de valores se a demanda for grande. Até mesmo porque estamos em um momento de entressafra e só começaremos a produzir a partir de abril”, argumenta. (PN)

Fonte: O Hoje