A Força Sindical faz nesta quarta-feira, 11, um ato em defesa do reajuste de 6,5% na tabela do Imposto de Renda. Enquanto membros da central carregam faixas de protesto no salão verde da Câmara, manifestantes se dirigem à galeria do plenário, onde os parlamentares estão analisando vetos presidenciais.

Entre os vetos que devem ser apreciados nas próximas horas, está o que impediu a correção de 6,5% na tabela do imposto. Nessa terça, 10, sob ameaça de que o veto seria derrubado, o governo aceitou enviar uma proposta de reajuste escalonado, com taxas que variam entre 4,5%, para as faixas mais elevadas de renda, e 6,5%, para as menores remunerações.

No salão verde, um homem fantasiado de leão carrega um cartaz que diz “de mordida em mordida vou devorar o seu salário”. Cerca de 180 membros da Força, entre metalúrgicos, pescadores e aposentados tentam entrar na galeria do plenário para pressionar os parlamentares. Na esplanada dos ministérios, faixas e balões também fazem menção ao ato.

De acordo com o presidente da Força Sindical, Miguel Torres, até mesmo o reajuste de 6,5% seria injusto, já que a inflação acumulada nos últimos 12 meses já ultrapassa 7%. Ele critica o acordo fechado entre governo e Congresso para flexibilizar o reajuste da tabela. “Depois que você põe a faca no pescoço do movimento social, toma uma vaia aqui, uma vaia ali, está com medo, acaba aceitando flexibilizar. Não é assim que se governa”, avaliou.

Fonte: EM