O uso dos equipamentos diminui os riscos de acidentes no ambiente de trabalho

Os EPI’s, equipamentos de proteção individual, são indispensáveis nas atividades que podem colocar em risco a saúde e a integridade física do trabalhador. Portanto, devem fazer parte do dia a dia dos profissionais das indústrias, principalmente nas funções mais extremas como manuseio de equipamentos de corte ou as que envolvem altas temperaturas.

Na metalurgia, existem riscos físicos como incêndios, fadiga derivada do esforço físico, produtos químicos, exposição a ruídos, gases e chances de desenvolver doenças de pele e respiratórias. Por isso o trabalhador deve utilizar os equipamentos corretos de acordo com a função desempenhada.

Os EPI’s que devem fazer parte da rotina do trabalhador são:

  • Macacão antichamas com mangas longas;

  • Luvas de proteção fabricadas com material resistente ao fogo e cortes;

  • Capacete com jugular;

  • Óculos de proteção;

  • Protetores auriculares;

  • Par de calçados de segurança antiderrapantes.

Vale ressaltar que é obrigação da empresa disponibilizar todos os equipamentos de proteção individual exigidos. Ao trabalhador, cabe a tarefa de manter todos os EPIs em perfeito estado de conservação e higiene.

O setor da metalurgia é o que registra o maior número de acidentes de trabalho no Brasil, devido a grande diversidade de perigos a que os trabalhadores estão expostos. Para a proteção desses profissionais, é necessário o uso constante de EPIs. Segundo dados do Ministério do Trabalho, foram registradas 994 mortes e 21.271 amputações entre 2011 e 2015, somando mais de 350 mil acidentes com máquinas. O MT confirma que os casos vêm caindo desde 2010, quando foram adotadas regras de proteção para uso das máquinas.