Cruzeiro Elaboração de Produtos Diversificados não permitiu a entrada do sindicato para filiar trabalhadores e vai pagar cerca de R$ 30 mil de indenização para seus empregados

Quando a direção da Goiás Tintas e Colas impediu que os representantes do sindicato entrassem na empresa para sindicalizar seus empregados ela descumpria cláusula convencionada entre representantes das categorias econômica e profissional. Foi um ato antissindical, segundo o presidente do SindMetal-GO, Roberto Ferreira, que encaminhou o caso ao departamento jurídico da entidade.

Uma ação de cumprimento na Justiça do Trabalho foi bem sucedida e com ela o pedido de indenização cujo valor se reverteria em favor dos empregados prejudicados. Vários deles nem sabiam que poderiam receber uma graninha extra. Além de ter que agendar as reuniões para receber o sindicato em horário de expediente, a empresa vai pagar cerca de trinta mil reais para serem divididos com aqueles que eram funcionários na época.

O sindicato distribuiu panfletos no portão da empresa dando todas as orientações necessárias para o recebimento, inclusive a relação com nome e valor dos contemplados. As guias judiciais já estão liberadas e começaram a ser entregues.

Leandro Viana, auxiliar de produção, se sentiu aliviado. “Esse dinheiro veio em bora hora. Vai me ajudar a quitar algumas contas” comemora. Alex Ferreira, soldador na empresa, disse ter ficado surpreso com a notícia. “É aí que a gente vê realmente que o sindicato está lutando pelos nossos direitos” ressaltou.

 

Veja também:

> Empregados da Planalto Indústria Mecânica rejeitam proposta do PPR/2014

> SindMetal-GO leva conhecimento aos metalúrgicos do chão de fábrica

> “De volta pro meu sindicato” continua repatriando associados

 

FonteNucleo de Jornalismo e Assessoria de Imprensa