A Federação Nacional das Empresas de Serviços e Limpeza Ambiental (Febrac) estima que as contratações temporárias no setor terão um acréscimo de 25% a 30% em dezembro, o que representa 200 mil novos postos de trabalho. O setor de prestação de serviços de limpeza e conservação engloba cerca de 13 mil empresas, que faturam R$ 32 bilhões ao ano, segundo a Febrac.

“As perspectivas de vagas são boas para o país inteiro, tendo em vista que o evento de futebol mais importante do mundo resultará em novos negócios em todas as regiões onde será realizado. Aliás, este será um período atípico, pois, após o verão, teremos o carnaval, depois a Copa do Mundo, e logo após as eleições, e já chegou o Natal novamente”, ressaltou nesta sexta-feira (20) o presidente da Febrac, Ricardo Garcia.

Ele explica que o setor de asseio e conservação não se restringe às atividades de limpeza: o ramo engloba cargos como recepcionista, jardineiro e porteiro. O perfil de candidato com pouca qualificação e escolaridade já não representa a realidade do setor, segundo Garcia, que diz que para se destacar, o novo profissional deve apresentar, além de segundo grau, cursos que o qualificam para interagir com o público estrangeiro.

“Mesmo nos casos de contratação com baixa escolaridade, é necessário estar atento para obter um crescimento profissional, já que o treinamento e a supervisão são constantes”, disse.

As vagas estão disponíveis em hotéis, resorts e restaurantes, além de shoppings, novos aeroportos e empreendimentos – tipos de estabelecimentos que se expandem à medida que a economia se desenvolve e o poder de compra da população aumenta. De 2006 a 2011, os recursos para o aperfeiçoamento da mão de obra do setor no Brasil saltaram de R$ 50 milhões para R$ 110 milhões, crescimento real de quase 65%, informou a Febrac.

“O aperfeiçoamento representa uma forma de garantir a retenção de trabalhadores e o aumento da produtividade”, disse Garcia.

Regiões

Estados como Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Santa Catarina apresentam estimativas de crescimento acima da média nacional.

“O Rio de Janeiro é o que chama mais a atenção pelo potencial de crescimento e otimismo causado pelos grandes eventos esportivos e religiosos programados para os próximos anos e pelo boom do setor de petróleo e gás”, afirmou Garcia.

Os trabalhadores contratados por empresas ligadas aos sindicatos estaduais e à Febrac têm carteira assinada e recebem todos os benefícios garantidos pela CLT. As empresas sindicalizadas não podem adquirir produtos ou insumos que sejam produzidos por mão de obra infantil ou empresas daquelas que façam uso de trabalho com precariedade humana, similar ao trabalho escravo, explicou a Febrac.

Fonte: G1