29/03/2016

Na primeira reunião para negociação da pauta apresentada pelos trabalhadores com vistas à renovação do acordo coletivo de 2016, Metalúrgica Rezende e sindicato não chegaram a um denominador comum com relação ao índice de aumento salarial da data base.

Os empresários insistiram em afirmar que estão em crise – apesar dos próprios empregados, afirmarem que a produção está a todo vapor – e ofereceram um reajuste salarial menor que a inflação do estado, diante da pedida de 40% de aumento nos salários por parte dos operários.

O presidente do SindMetal-GO, Eugênio Francisco, acredita que a empresa se arrisca ao subestimar os operários. “Eles já conhecem a união entre seus empregados e o sindicato, sabem que não será fácil convencê-los com qualquer contraproposta e que o risco de um movimento de greve eclodir é grande” diz ele. A próxima reunião ficou marcada para o dia 8 de março, às 16hs, na sede entidade.