Faça cursos de atualização, cuide da saúde, retome sua rede de relacionamentos e participe de muitas entrevistas de emprego

Quem foi demitido ou pediu demissão do emprego por alguma razão, não pode se deixar abater e se desligar do mundo do trabalho. O tempo livre que acaba de ser conquistado deve ser visto como uma ótima oportunidade para se aprimorar e buscar uma colocação ainda melhor que a anterior. Mais do que enviar currículo, esse tempo pode ser aproveitado de formas bastante úteis.

A professora do Núcleo de Estudos e Negócios em Desenvolvimento de Pessoas da Escola Superior de Propaganda e Marketing, Adriana Gomes, elaborou uma lista de atividades que o recém-desempregado pode fazer para preencher seu tempo (veja quadro). Para ela, mais do que encaminhar currículos, a pessoa pode entrar em contato com antigos colegas de trabalho. Sair para tomar um café com aquelas pessoas que foram importantes ao longo da sua trajetória profissional e mesmo da sua vida pode ser uma boa forma de identificar oportunidades.

Aprimoramento

Outra orientação é aproveitar o tempo livre para fazer cursos de aperfeiçoamento. A especialista aconselha os profissionais a buscarem cursos de especialização, sobretudo para desenvolver competências que faltam para ter um desempenho melhor na profissão. Contudo, o mais importante é que a pessoa que se encontra desempregada deve ter uma rotina, com hora para acordar, se exercitar e, principalmente, buscar uma oportunidade, seja pessoalmente nas empresas de recursos humanos ou pela internet.

Para Adriana, os benefícios dessa estratégia são inúmeros. Segundo ela, o profissional se desenvolve, usa seu tempo livre com algo útil e ainda tem a oportunidade de conhecer novos profissionais que, quem sabe, poderão ajudar na recolocação.

A professora explica ainda que o desemprego normalmente gera um sentimento de depressão nos profissionais, o que pode debilitar a imunidade e trazer doenças. Por isso, é importante aproveitar o ócio para cuidar da saúde, atualizando seus exames. Quem também aproveita o tempo para fazer entrevistas de emprego, por exemplo aprende a se expressar melhor e a negociar questões salariais.

Para a diretora da Trato Gestão de Pessoas, Cejana de Siqueira Freitas, o momento de desemprego precisa ser encarado como um momento de trabalho em busca de uma recolocação. Ela explica que é preciso criar uma rotina de trabalho voltado para essa busca. Por isso, nada de acordar tarde e ficar de chinelo!

Currículo

Cejana informa que uma das primeiras preocupações deve ser formatar o currículo de forma mais atualizada, pesquisando as recentes tendências de formato e envio dessas informações às empresas. A pessoa deve procurar saber como as consultorias de recursos humanos e empresas em geral estão preferindo receber esses currículos. Segundo a diretora da Trato, sempre que participar de uma entrevista, ela pode pedir um retorno sobre seu desempenho, ou seja, como foi avaliada.

Quem tem mais tempo por estar sem trabalho, também pode se manter mais informado, lendo jornais diariamente. Neles, além de se manter atualizada, a pessoa pode encontrar oportunidades de trabalho nos cadernos de classificados. Mas o mais importante, alerta Cejana, é se mostrar sempre proativo para fazer deste um momento de crescimento. “Um emprego não vai bater na porte de ninguém. Quem se jogar no sofá e esperar não poderá ser ajudado”, adverte.

Segundo ela, a pessoa que mostra uma postura ativa e interesse em conquistar uma oportunidade, pode ser contratada mesmo se não preencher algum requisito técnico exigido pela empresa. “Às vezes, é possível até se oferecer para fazer um curso rápido para aprender. Fica muito mais fácil vender este profissional para o mercado de trabalho”.

Fonte: O Popular