Em agosto, o total de desempregados no conjunto das sete regiões onde a pesquisa é realizada foi estimado em 2,355 millhões pessoas, 69 mil a menos do que no mês anterior

A taxa de desemprego média de sete regiões metropolitanas caiu para 10,6% em agosto no país, após índice de 10,9% em julho, aponta a Pesquisa de Emprego e Desemprego (PED), divulgada nesta quarta-feira (24) pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), em convênio com a Fundação Seade.

A taxa caiu pelo quarto mês seguido. Estava em 11,3% em abril, foi para 11,1% em maio, para 11% em junho e 10,9% em julho.

Em agosto, o total de desempregados no conjunto das sete regiões onde a pesquisa é realizada foi estimado em 2,355 millhões pessoas, 69 mil a menos do que no mês anterior.

A taxa de desemprego total diminuiu em Fortaleza, Salvador e São Paulo, manteve-se  relativamente estável em Belo Horizonte, Distrito Federal e Porto Alegre e aumentou em Recife.

O nível de ocupação apresentou pequena variação positiva, de 0,4%, em relação ao mês anterior. Foi registrada a criação de 83 mil postos de trabalho, número superior ao de pessoas que ingressaram no mercado de trabalho, que foi de 15 mil. Com isso, houve diminuição do contingente de desempre18,2%gados em 69 mil).

O total de ocupados, nas sete regiões investigadas, foi estimado em 19, 909 milhões de pessoas e a População Economicamente Ativa  (PEA), em 22,265 milhões.

Por setores de atividade econômica, no conjunto das regiões, o nível ocupacional aumentou na indústria de transformação (15 mil novos postos de trabalho, ou 0,5%) e no comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas (49 mil, ou 1,3%), mas manteve-se relativamente estável nos serviços (39 mil, ou 0,3%) e na construção (-2 mil, ou -0,1%), diz a pesquisa.

Rendimento

Em julho de 2013, no conjunto das regiões pesquisadas, os rendimentos médios reais dos ocupados subiram 1,2% e dos assalariados, 0,6%. Os valores monetários passaram a equivaler a R$ 1.632 e R$ 1.677, respectivamente.

 

Fonte: G1