Homologações são referentes aos empregados com um ano ou mais de contrato formal

De janeiro a setembro deste ano, o Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindimetal) registrou 18.123 demissões, número 80,7% superior que o registrado no mesmo período do ano passado. Os números são referentes às homologações na entidade, que contabiliza apenas os empregados com um ano ou mais de contrato formal.

Apenas em setembro, o sindicato contabilizou 1.668 demissões – registrando uma queda de 32% em relação ao mês de agosto, quando 2.453 pessoas deixaram o emprego. Em um ano que tem uma média de 2.013 rescisões contratuais homologadas por mês, setembro registra o terceiro menor número de afastamentos de 2012. Do total de demissões deste mês, 998 eram homens e 670, mulheres.

Os últimos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), mostram que, entre os oito setores analisados, a indústria tem o maior saldo negativo na geração de empregos.

Para o presidente do Sindimetal, Valdemir Santana, a quantidade de demissões no Estado tem mantido uma constante, que não será revertida ainda este ano. Já o vice-presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, voltou a dizer que 2012 é um ano perdido para a indústria e que não há sinal de melhora. “O setor de eletroeletrônicos até que conseguiu avançar, mas o metalúrgico, que é liderado pelo Polo de Duas Rodas, está ainda com uma grande reserva nos estoques”, afirmou. “Há uma possibilidade de haver uma maior redução no quadro”.

O empresário foi pessimista ao ser questionado se a tradicional recuperação do Polo Industrial de Manaus (PIM) no último semestre do ano estava garantida. “Todo mundo estava esperando que isso fosse acontecer, mas até agora, nada. Quando nós pensamos que a situação está melhorando, afundamos de novo, parece que tem uma bolha no setor. A maioria das indústrias quer esquecer 2012 e está com planejamento para o próximo ano”.

Em busca de incentivos ao Polo de Duas Rodas, representantes do PIM, juntamente com líderes da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e da Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares (Abraciclo) se reuniram em Brasília, no dia 20 de setembro, com membros de instituições financeiras para buscarem novas linhas de crédito para o setor.

 

Fonte: D24am.com