Ante janeiro, porém, houve queda de 13%, por menor nº de dias úteis. Esta foi a quinta alta anual seguida, de acordo com a empresa

O número de pessoas que procurou crédito em fevereiro teve alta de 6,9% na comparação com igual mês do ano anterior, de acordo com o Indicador Serasa Experian da Demanda do Consumidor por Crédito, divulgado nesta segunda-feira (11). Esta foi a quinta alta seguida na comparação anual, após a demanda do consumidor por crédito ter registrado queda em 10 dos 11 meses compreendidos entre novembro de 2011 e setembro de 2012.

O processo de reativação da demanda do consumidor por crédito relaciona-se com a atual tendência de diminuição dos níveis de inadimplência e com as taxas de juros mais baixas. Também reflete, conforme os economistas da Serasa Experian, o bom momento ainda vivido pelo mercado de trabalho, apesar do fraco desempenho da economia brasileira em termos de crescimento econômico.
 Na comparação com janeiro, o menor número de dias úteis em fevereiro, por conta do carnaval, fez com que a procura do consumidor por crédito recuasse 13%.

Regiões

A região Norte verificou a maior alta na demanda do consumidor por crédito, com crescimento de 13,2%, na comparação anual; a região Nordeste teve alta de 11%, na mesma base de comparação.

Com este resultado, estas regiões acumularam as maiores variações positivas nas demandas dos seus consumidores por crédito durante o primeiro bimestre de 2013: Norte (+19,3%) e Nordeste (+15,3%).

As regiões Sul e Sudeste registraram, em fevereiro, crescimentos das demandas dos consumidores por crédito de 7% e 5,7%, respectivamente, na comparação com fevereiro de 2012.

O menor crescimento da procura por crédito foi registrado pelos consumidores do Centro-Oeste, com alta de apenas 2,2% em fevereiro, acumulando 4,7% no primeiro bimestre de 2013.

Faixa de renda

Em fevereiro, na comparação com 2012, todas as faixas de rendimento mensal registraram crescimento nas demandas por crédito, sendo que os maiores avanços concentraram-se nas camadas inferiores de rendimento mensal.

Neste sentido, houve alta de 12,5% para os consumidores que ganham até R$ 500 mensais; 8,9% para os consumidores que recebem entre R$ 500 e R$ 1.000 mensais; e avanço de 5,3% para os consumidores cujo rendimento mensal encontra-se entre R$ 1.000 e R$ 2.000.

Já os consumidores que possuem rendas mensais mais elevadas estão registrando crescimentos interanuais menos expressivos em termos de demanda dos consumidores por crédito: altas de 2,9%, 1,7% e 2,8% no mês de fevereiro para os consumidores que ganham entre R$ 2.000 e R$ 5.000; R$ 5.000 e R$ 10.000; e mais de R$ 10.000, respectivamente.

Fonte: G1.com