Déficit é o maior para janeiro desde 2009, mostra série histórica do BC

O déficit do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), sistema público de previdência que atende aos trabalhadores do setor privado no país, somou R$ 6,2 bilhões janeiro deste ano, informou o Ministério da Previdência Social nesta terça-feira (12).

Com isso, o resultado negativo avançou 92% frente ao mesmo período do ano passado, quando o déficit somou R$ 3,2 bilhões. Os valores foram corrigidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). Também foi o maior resultado negativo para meses de janeiro desde 2009, segundo a série histórica do Banco Central.

Arrecadação e pagamento de benefícios

O pagamento de benefícios previdenciários somou R$ 27,58 bilhões em janeiro deste ano, o que representa um aumento de 19,5% frente ao mesmo período do anterior (R$ 24,1 bilhões). Ao mesmo tempo, a arrecadação líquida do INSS somou R$ 21,41 bilhões em janeiro de 2013, o que representa uma elevação de 2,5% frente ao mesmo mês de 2012 – quando totalizou R$ 20,89 bilhões.

“O aumento da despesa ocorreu por causa do reajuste do salário mínimo, do aumento natural da quantidade de benefícios e do pagamento de duas revisões feitas pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) – revisão do teto e revisão dos benefícios por incapacidade. Juntas, essas revisões foram responsáveis por um montante de R$ 882,5 milhões a mais na despesa”, informou o Ministério da Previdência Social.

Benefícios

Em janeiro de 2013, a Previdência Social pagou 30,08 milhões de benefícios, sendo 26,05 milhões previdenciários e acidentários e, os demais, assistenciais. Houve elevação de 3,4% em comparação com o mesmo mês do ano passado. As aposentadorias somaram 16,9 milhões de benefícios, acrescentou o Ministério da Previdência Social.

Segundo o governo, o valor médio dos benefícios pagos pela Previdência, em janeiro de 2013, foi de R$ 899,33. “A maior parte dos benefícios (69,9%) – incluídos os assistenciais – pagos em janeiro de 2013 tinham valor de até um salário mínimo, contingente de 21 milhões de benefícios”, informou o Ministério da Previdência Social.

Fonte: G1.com