Ultimamente, quando se trata de notícias sobre política no Brasil, uma das palavras que mais se ouve – depois de corrupção – é “propina”. E foi justamente por esse motivo que o ex-ministro José Dirceu recebeu um mandado de prisão preventiva nesta segunda-feira, 03 de agosto.

O Ministério Público Federal e a Polícia Federal afirmaram que Dirceu participou do esquema de corrupção da Petrobrás quando ainda estava na chefia da Casa Civil, no governo Lula.  O irmão de Dirceu também foi preso, pois era sócio na JD Consultoria, empresa suspeita de receber R$ 39 milhões por serviços que não foram feitos.

A nova fase das investigações recebeu o nome de “Pixuleco”. Segundo o presidente da UTC Egenharia S.A, Ricardo Pessoa – acusado de pagar propina na campanha de Dilma –, o termo era utilizado por João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT, para nominar propina paga em contratos com o poder público.

José Dirceu foi preso pela primeira vez em novembro de 2014 acusado de corrupção ativa no processo do mensalão e ainda cumpre pena.