06/04/2016

Marcado para a manhã desta quinta-feira (7) o depoimento da primeira testemunha de acusação, Leonardo Meirelles, contra o Presidente da Câmara dos deputados, Eduardo Cunha, a defesa entrou com um pedido para anular todas as testemunhas no processo contra ele no Conselho de Ética da Casa. Cunha é investigado pela suspeita de manter contas bancárias secretas no exterior e de ter mentido sobre a existência delas em depoimento à CPI da Petrobras no ano passado. 

Leonardo Meirelles, ex-sócio de Alberto Youssef, entregou ao Ministério Público comprovantes de depósitos de propinas pagas no exterior para políticos suspeitos de terem se beneficiado do esquema de corrupção da Petrobras. No ofício, a defesa de Cunha contesta a suspeita das testemunhas alegando que não podem acrescentar nada à acusação. O advogado dele, Marcelo Nobre, ainda diz que as testemunhas são beneficiárias de um acordo de delação premiada e irão apenas confirmar suas teses

Segundo o presidente do conselho, José Carlos Araújo (PR-BA), a reunião que irá analisar com os advogados e assessores do jurídico o que fazer em relação ao pedido de Cunha, deve ser no início da tarde desta quarta. Entre essas testemunhas, quatro estão presas, o doleiro Alberto Youssef, e os lobistas Fernando Baiano, João Augusto Henrique e Eduardo Vaz Musa.