Quem deixou para fazer as compras de fim de ano neste último fim de semana que antecede o Natal, está encontrando ruas e shoppings lotados. Os shoppings recebem um fluxo maior de pessoas em relação ao mesmo período do ano passado, o que, consequentemente, movimenta as compras.

No Flamboyant Shopping Center a expectativa é que 180 mil pessoas passem pelo local, crescimento de 5% em relação a dezembro de 2013. O superintendente do shopping, João Ricardo Gusmão Ladeia, frisa que a expansão do Flamboyant é o fator de destaque que proporcionou esse aumento no fluxo de pessoas.

“As novas lojas, restaurantes e o espaço maior têm chamado a atenção dos consumidores. Além disso, a nossa promoção de fim de ano teve aumento de 45% na troca de cupons para o sorteio dos carros”, diz João Ricardo Gusmão.

A expansão também foi fator positivo no Buriti Shopping, que espera um crescimento de 15% no público para esse final de semana. “Deverão passar por aqui 90 mil pessoas, um fluxo acima da expectativa. “É a nossa quinta expansão, estamos preparados para receber esse crescimento de público”, afirma o gerente de operações do Buriti, Rangel Mendonça.

O casal de empresários Adalberto Fernandes, 48, e Cristiane Fernandes, 42, deixaram as compras para a última hora e afirmam gostar do tumulto. “Demoramos sortear o amigo secreto da família, e esperamos para comprar os presentes de natal de uma só vez. Essa aglomeração de pessoas no shopping é divertida. O espírito de confraternização e a busca por opções que agrada m os presenteados proporcionam um momento incrível.”

COMÉRCIO DE RUA

Mesmo com movimentação intensa, o comércio de rua deve receber um número igual ou menor de pessoas, em relação ao ano passado. O presidente do Sindilojas, José Carlos Palma Ribeiro, explica que muitos anteciparam as compras durante a Black Friday.

“Vários consumidores não deixaram para a última hora. Além disso, as lojas do Setor Campinas e do Centro não foram as únicas procuradas. Muitos setores tiveram instalações de grandes lojas no decorrer deste ano, e três shoppings inaugurados. O que faz com que as compras se dividam em outras regiões da capital.”

Fonte: O Popular