O consumo de energia registrou alta de 2% em outubro, comparado com igual mês do ano passado. A alta foi puxada pelo comércio, com 7,6%, e pelas residências, com 5,2%. A indústria, no mesmo período, apresentou retração de 4,9%. Os dados foram divulgados hoje (1º), na Resenha Mensal do Mercado de Energia Elétrica, publicada pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

Um dos fatores apontados pela EPE para a alta no comércio e nas residências foram as altas temperaturas no período, que ficaram entre 5 graus Celsius (º C) e 10º C acima da máxima normal climatológica para o período na faixa que se estende entre o Paraná e o Mato Grosso. Outra explicação, segundo a EPE, é a expansão do consumo de energia como reflexo na área de vendas, movimentação dos aeroportos e turismo. Segundo a Associação Brasileira de Shoppings Centers (Abrasce), apenas entre 29 de setembro e 23 de outubro, aumentou em 58 mil metros quadrados a área bruta locável em novos shoppings, o que equivale a 17% do total previsto para o ano.

Nas residências, a compra de novos equipamentos eletrodomésticos é um dos vetores de crescimento no consumo elétrico, que subiu de 163 kilowatts/hora por mês (kWh/mês), em outubro de 2013, para 166 kWh/mês em outubro deste ano.

Na contramão do crescimento dos dois setores, foi registrada retração na indústria, como resultado da baixa atividade no setor. Entre os segmentos que apresentaram maior recuo no consumo elétrico, estão metalurgia (-18,4%), químico (-9%) e fabricação de veículos, reboques e carroceria (-7,8%). Em comparação a setembro, porém, houve ligeiro avanço na indústria, de 0,8%.

Fonte: O Popular