A pesquisa da CDL aponta um aumento de 7,8% na intenção de compras em 2013 se comparado com o ano passado. Apesar do aumento na vontade de presentear, o valor do gasto médio com as compras caiu. Se em 2012 os consumidores pretendiam gastar entre R$ 200 e R$ 300, neste ano a maioria dos entrevistados deve gastar entre R$ 100 e R$ 250. O item mais adquirido para ser presenteado será o vestuário, com 36,4%, e teve um avanço de 0,6% na preferência dos consumidores do ano passado para este. Os itens que neste Natal estão entre os destaques dos presentes está a perfumaria, cuja elevação na intenção de compras foi de 9,9%, e celulares, que apresentaram uma alta de 1,2%.

Neste ano, os consumidores vão optar mais pelo pagamento à vista que por outras formas. 74,1% disseram que vão usar dinheiro para fazer as compras de Natal. Esse percentual representa um aumento de 8,9% na comparação com 2012. A segunda maneira de pagar os presentes será com uso do cartão de crédito, com 22,7%, que neste ano teve uma queda de 4,9%. As compras no crediário e em cartão de lojas vão ter uma diminuição de 3,2% e 1,8%, respectivamente, na preferência dos consumidores, pois estas duas modalidades estão diretamente ligadas às taxas de juros de mercado.

13º salário

O superintendente da CDL, Marco Antônio Milharce, diz que este ano foi um período complicado para o comércio. A expectativa é de que a injeção de recursos com a segunda parcela do 13º salário reforce as vendas. Neste ano, serão incorporados à economia goiana mais R$ 3,4 bilhões provenientes do salário extra do fim ano. Somado isso, o governador do Estado já anunciou que vai creditar nas contas o pagamento de dezembro no dia 20 deste mês. Com base na pesquisa, Milharce prevê que as vendas devem aumentar neste ano entre 3% e 5%. Segundo o coordenador da pesquisa, o economista e professor Aurélio Troncoso, neste ano os consumidores estão mais cautelosos e não querem se endividar. Prova disso é a grande quantidade de pessoas que preferem para pagar as compras à vista. Porém, ele aponta que em 2012 o percentual das pessoas que deviam em Goiânia, nesta época do ano, era de 30%, agora o percentual subiu para 32,5%.

A pesquisa da Associação Comercial e Industrial de Goiás (Acieg), produzida pelo Grupom Consultoria e Pesquisas, mostra que a maioria dos entrevistados 34,9% pretende gastar os salários deste fim de ano com compras de Natal, já 20,9% pretende pagar dívidas.

Perspectivas

Segundo a presidente da Acieg, Helenir Queiroz, neste ano o faturamento será 10% maior que o do ano passado. Quanto às perspectivas para 2014, Helenir espera que o ano seja bom para economia, uma vez que deverá ocorrer uma injeção de recursos em função do ano eleitoral. “É possível que o governo federal libere as obras que estão paradas e esse dinheiro movimente a economia do País”, destaca.

Fonte: O Hoje