ICI caiu 0,6% entre julho e agosto de 2013, de acordo com a FGV. Resultado sinaliza que a indústria apresenta ritmo lento de atividade

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) da Fundação Getulio Vargas registrou queda de 0,6% entre julho e agosto de 2013, passando de 99,6 para 99 pontos, o menor nível desde julho de 2009 (95,7 pontos), segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira (26).

O Índice da Situação Atual (ISA), que integra o cálculo do ICI, caiu 1,1%, para 99,5 pontos, o menor patamar desde julho de 2009 (96,7). O Índice de Expectativas (IE), que também faz parte do cálculo, apresentou estabilidade – após cinco quedas consecutivas, o IE variou -0,1% e atingiu 98,5 pontos.

“O resultado geral da pesquisa sinaliza que a indústria apresenta ritmo lento de atividade no momento e expectativas entre neutras e moderadamente pessimistas em relação aos meses seguintes”, disse a FGV em nota.

De acordo com a pesquisa, o acúmulo de estoques foi um dos fatores a contribuir para a queda do ICI em agosto. O Indicador de nível de estoques caiu 3,8%, para 93,1 pontos, nível inferior à média recente (95,9). A proporção de empresas que avaliam o nível atual de estoques como excessivo aumentou de 7,7% para 9,4%; já a parcela de empresas que o consideram insuficiente caiu de 4,5% para 2,5%.

O que evoluiu menos favoravelmente foi o indicador de emprego previsto, atingindo o menor patamar desde junho de 2009 (98,0). Foi verificada queda de 0,5%, para 104,6 pontos. Houve aumento tanto na proporção de empresas que preveem acréscimo no total de pessoal ocupado nos três meses seguintes, de 16,0% para 17,0%, quanto na parcela das que preveem redução, de 10,9% para 12,4%.

O Nível de Utilização da Capacidade Instalada (NUCI) recuou 0,2 ponto percentual (p.p.) entre julho e agosto, atingindo 84,2%.

Fonte: G1