A comissão especial do impeachment no Senado deu início por volta das 9h50 desta quarta-feira (27) uma sessão para votar requerimentos para ouvir depoentes de defesa e acusação sobre o processo da presidente Dilma Rousseff.

Pelo cronograma do colegiado, os primeiros a prestarem depoimento, já na quinta-feira (28), serão os autores do pedido de impeachment. Ainda não está definido se comparecerão os três juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal ou apenas parte deles.

Na sexta-feira (29), será a vez da defesa de Dilma, a ser apresentada pelo advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo.

Os depoimentos que forem aprovados nesta quarta deverão ser marcados para a próxima semana. Entre os requerimentos apresentados estão convites para ouvir os ministros Nelson Barbosa (Fazenda) e Kátia Abreu (Agricultura), os ministros aposentados do Supremo Tribunal Federal (STF) Eros Grau e Carlos Velloso, o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Carlos Lamachia, e o procurador de Contas junto ao Tribunal de Contas da União (TCU) Júlio Marcelo de Oliveira, além de juristas e acadêmicos. No total, até a última atualização desta reportagem, havia proposta de ouvir 16 nomes.

Os trabalhos do colegiado começaram na terça-feira (26), com a eleição do relator, senador Antonio Anastasia (PSDB-MG), a quem caberá elaborar um parecer recomendando a instauração ou o arquivamento do processo para ser apresentado no dia 4 de maio e votado no dia 6.

A expectativa é que o relatório dele seja submetido ao plenário principal do Senado no dia 11 de maio. Para ser aprovado, é necessário haver maioria simples dos senadores (41 de 81). Se for favorável à instauração do processo, Dilma será afastada da Presidência da República por 180 dias. Nesta hipótese, o vice-presidente Michel Temer assumirá o comando do Palácio do Planalto.

Próximas etapas da comissão:

– Quinta-feira (28): depoimento dos autores da denúncia;

– Sexta-feira (29): depoimento da defesa da presidente;

– Segunda-feira (2): depoimento de especialistas pró-impeachment;

– Terça-feira (3): depoimento de especialistas contrários ao impeachment;

– Quarta-feira (4): apresentação do relatório recomendando a instauração do processo ou arquivamento da denúncia;

– Quinta-feira (5): manifestação da defesa da presidente e discussão do relatório;

– Sexta-feira (6): votação do relatório pelos integrantes da comissão.

Fonte: G1