Momento é ideal para quem quer conquistar o primeiro emprego, lembram especialistas

São 17 mil novos postos de trabalho temporários até o fim do ano em todo o Estado, segundo estimativa do Sindicato dos Empregados no Comércio de Goiás. Esse número é 6% superior ao disponibilizado em 2011. Com salários mais altos, que giram em torno de R$ 1,2 mil, este é um bom momento para quem quer fisgar o primeiro emprego ou mesmo quem está fora do mercado de trabalho.

O emprego temporário é a porta de entrada para o mercado de trabalho. Para não deixar essa oportunidade passar em branco, vale à pena ficar atento às dicas. Segundo a presidente da Associação Brasileira de RH em Goiás, Dilze Percílio, em primeiro lugar, o pretendente deve buscar uma vaga em um local que se enquadre com seu perfil. “Tem de ter a ver com ele. Ficar atento ao que ele se identifica. Se é um perfil comercial ou mais administrativo, por exemplo”, explica.

Dilze lembra que, neste período, cujo aumento de vendas e de fluxo de pessoas nas lojas é significativo, muitas vezes, a chefia não tem tempo disponível para explicar as expectativas que a empresa tem em relação ao trabalhador. Nesse caso, o funcionário temporário deve se empenhar em ir atrás da informação ou por meio do departamento de RH ou mesmo pela própria chefia. “A partir do momento que ele já sabe quais são as expectativas da empresa, resta se empenhar para conseguir superá-las e não executar somente aquilo que lhe é pedido”, ressalta.

Com pouca experiência ou inseguro no ambiente de trabalho, é comum que o funcionário temporário espelhe em colegas de trabalho mais antigos de casa. Nesse caso, é importante ser observador para não cair no conto do vigário. Nem sempre o funcionário que está há mais tempo na empresa é aquele mais bem avaliado pelo supervisor. Dilze diz que o temporário deve focar nos resultados. “Quando é dentro de uma indústria é mais fácil, já que o coordenador logo aponta um funcionário como referência. Agora em setores comerciais tem de ficar atento aos resultados.”

Se o funcionário temporário se identificou com o perfil e o novo local de trabalho, deve deixar isso claro para o departamento de RH. Muitas vezes, o funcionário é competente, está dentro do perfil de contratação da empresa, mas não transparece a vontade de permanecer nela.

shoppings

Os shopping centers brasileiros devem contratar 151 mil profissionais temporários para o período de festas de fim de ano, uma alta de 8% em relação a 2011. De acordo com a Associação Brasileira de Lojistas de Shopping, a expectativa é a de que 20% (30 mil pessoas) sejam efetivados.

O sudeste deve concentrar metade das vagas (50,9%), seguido pelo Sul (16,8%), Nordeste (16,1%), Centro-Oeste (9,5%) e Norte (6,7%).

Fonte: O Popular (GO)