O setor de metalurgia básica apresentou desempenho inferior à média da indústria de transformação entre julho de 2011 e julho de 2012

O setor de metalurgia básica apresentou desempenho inferior à média da indústria de transformação entre julho de 2011 e julho de 2012, informou, nesta quarta-feira, a Confederação Nacional da Indústria (CNI). O faturamento caiu 5,5%, a segunda maior queda entre os grupos analisados, após ter registrado alta em junho. As horas trabalhadas apontaram queda pelo segundo mês consecutivo, agora de -2,3%.
 
A utilização da capacidade instalada ficou, em julho, 5,7 pontos porcentual abaixo de igual mês de 2011. “A maior ociosidade é marca da fraca atividade”, comentaram os técnicos da Confederação. Mesmo assim, o setor continua contratando, ainda que em um ritmo menor. O emprego cresceu 0,3% entre julho de 2011 e de 2012 e o rendimento médio real ficou praticamente estável (0,1%) na mesma base de comparação.
 
No caso do segmento de borracha e plástico, que também recebeu destaque da CNI, houve queda em quase todos os indicadores de julho ante o mesmo mês do ano passado. As exceções foram a massa salarial e o rendimento médio. O faturamento registrou um aprofundamento da queda entre junho (-0,8%) e julho (-1,0%) na comparação com os meses de 2011. O volume de horas trabalhadas, considerado o indicador mais ligado à produção, recuou 1,9%.
 
Mesmo assim, o nível de utilização da capacidade instalada permaneceu inalterada ante julho do ano passado. O emprego recuou 1,0%, atingindo a marca da nona queda consecutiva.

Fonte: Diário do Grande ABC (SP)