O crescimento da indústria brasileira em 2014 deve ser semelhante ao de 2013, quando houve pequeno crescimento do setor, segundo a CNI (Confederação Nacional da Indústria). No quadro atual, de acordo com o gerente executivo de Política Econômica da Confederação, Flávio Castelo Branco, o crescimento de 2% da indústria é uma expectativa otimista para 2014. O indicador de horas trabalhadas registrou em 2013 o pior resultado desde 2008, quando houve queda de 9,8%. No ano passado, a queda foi de 2,5%.

Isso reverte expectativa de recuperação mais expressiva das indústrias.

Castelo Branco afirmou, entretanto, que a taxa de câmbio mais desvalorizada pode favorecer o crescimento do setor.

A taxa de câmbio mais desvalorizada favorece a competitividade nas exportações e na competição com importados no nosso mercado.

 
Fonte: R7