A ceia de Natal vai ficar 8,10% mais cara no Natal deste ano do que em 2012, segundo levantamento divulgado pelo do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), da Fundação Getulio Vargas (FGV), nesta quarta-feira.

A alta de 17 produtos pesquisados – entre os usados pelos brasileiros para fazer a ceia ou o almoço de Natal – é maior do que a inflação média registrada pelo IPC-10 (Índice de Preços ao Consumidor-10), que foi de 5,48% de janeiro a dezembro de 2013. O indicador mede o preço de 338 produtos e serviços entre o dia 11 de um mês e o dia 10 do mês seguinte. O IPC-10 é um componente do IGP (Índice Geral de Preços) e é o primeiro índice de inflação fechado do ano.

O economista André Braz, responsável pela pesquisa, comenta o impacto do aumento:

– Se considerarmos que o reajuste nos salários não tiveram aumento real nesse patamar, o peso no orçamento das famílias, principalmente nas de menor renda, será ainda maior.

Entre os 11 produtos que ficaram acima da inflação, tiveram altas mais expressivas: farinha de trigo (30,6%), batata-inglesa (21,1%) e frutas (15,4%). Entre os itens típicos das festas de fim de ano estão: pães de outros tipos e panetones (alta de 15,3%), azeite (13,7%), frango (10,3%), lombo suíno (10,1%) e azeitona em conserva (9,5%).

Apesar disso, alguns produtos importantes para os pratos das celebrações tiveram queda de preços ou aumentos abaixo da inflação média, entre eles a cebola (-29,42%), o óleo de soja (-19,39%), o bacalhau (-9,69%), o arroz (-5,13%), o pernil suíno (3,44%) e o vinho (3,87%)..

Já a média dos preços dos presentes entre janeiro e dezembro de 2013 ficou abaixo da inflação medida pelo IPC-10 — 3,78% ante 5,48%. Numa lista de 22 produtos, aqueles que estão pesando mais no bolso do consumidor são: bijuterias (14,25%), bicicleta (9,44%), cintos e bolsas (7,14%) e computador (5,41%).

Fonte: Globo.com