Pesquisa do indicador de educação financeira é divulgada pela Serasa

O brasileiro tem conhecimento sobre conceitos financeiros, mas não aplica isso no seu dia a dia. Esta foi a conclusão da primeira pesquisa do indicador de educação financeira lançada pela Serasa Experian, hoje.

Para o economista da Serasa, Luiz Rabi, a educação financeira do brasileiro não é tão baixa quanto se imaginava. Mas o comportamento é problemático. “O brasileiro conhece razoavelmente bem como deveria se comportar, mas na hora de colocar na prática ele se atrapalha”, diz.

O indicador foi dividido em três fatores: conhecimento -quanto o consumidor sabe; atitude -o que ele diz que faz; e comportamento -o que ele realmente faz.

No subíndice conhecimento, a média dos entrevistados foi 7,5, um bom resultado, segundo os economistas da Serasa. No quesito comportamento, porém, a média cai para 5,2. Já a média do subíndice atitude foi 6,3.

O problema do comportamento é geral e ultrapassa divisões de gênero, renda e escolaridade. Uma das revelações da pesquisa é que há pouca diferença entre homens e mulheres.

Segundo Rabi, “os homens sabem um pouco mais, sabem como deveriam se comportar, mas no comportamento são iguais às mulheres, fazem as mesmas bobagens”.

A renda maior também não garante uma prática melhor com o dinheiro. “O conhecimento da alta renda é maior, mas no comportamento são todos iguais”, diz Rabi.

Apenas para faixa de renda abaixo de um salário mínimo, o subíndice comportamento é pior. A pesquisa foi realizada pelo Ibope, com 2002 pessoas com mais de 16 anos, no primeiro trimestre deste ano.

Fonte: O Hoje (GO)