O resultado mostra um crescimento de 0,10% em relação ao mês anterior

O mercado de trabalho brasileiro gerou 41.463 postos de trabalho com carteira assinada no mês de julho,  segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quarta-feira (21) pelo ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias. O resultado mostra um crescimento de 0,10% em relação ao mês anterior e o emprego formal vem mantendo sua trajetória de crescimento de emprego. .  “Crescemos menos, mas continuamos gerando empregos. Em 2013 já foram criados 907 mil postos de trabalho, mantendo uma média de 100 mil empregos por mês”, analisou.

Para o ministro, o crescimento do emprego deve continuar nos próximos meses. “O conjunto da economia está gerando empregos, principalmente no interior do país. Acredito que vamos gerar empregos, pois há investimento na economia do país e nos próximos meses, começam as contratações para o fim do ano”, avaliou. 

O desempenho positivo é resultado da geração de 1.781.308 admissões e 1.739.845 desligamentos no mês de julho, os maiores para o período. Entre janeiro de 2011 e julho de 2012, o crescimento de empregos foi de +10,24%, com um aumento de 4.513.977 postos de trabalho. 

No acumulado do ano, ocorreu expansão de+ 2,29% no nível de emprego, equivalente ao acréscimo de 907.214 postos de trabalho. Já nos últimos 12 meses, o aumento foi 918.193 postos, elevação de +2,32%. 

Dentre os oito setores de atividade, seis aumentaram o nível de emprego, sendo a agricultura  que obteve a maior taxa de crescimento com 18.133 novas vagas (+1,08%), seguida do setor de serviços com  11.234 postos (+0,07%) e a indústria da transformação com +7.154 postos (+0,09%). 

A construção civil com 4.899 (+0,15%), o comércio com 1.545 (+0,02%) e a administração pública com 55 postos (+0,01%) também apresentaram desempenho positivo. Os setores que apresentaram declínio no nível de emprego foram os serviços industriais de utilidade pública com -1.321 postos (-0,34%) e a extrativa mineral com -236 postos (-0,10%). 

Crescimento – Em termos geográficos a expansão foi verificada em praticamente todas as regiões. O Sudeste criou 17.418 empregos (+0,59), seguido do Centro-Oeste com 16.775 postos (+0,22%), do Nordeste com 10.005 postos (+0,16%) e do Norte com 7.765 (+0,43%). A única exceção foi a região Sul, com queda de 500 postos de trabalho (-0,01%).

Entre os 27 estados,  21 revelaram crescimento do emprego, com destaque para Minas Gerais (+11.633 postos), São Paulo (+8.474 postos) e Mato Grosso (+4.396 postos). O estado de Sergipe também merece destaque, em julho de 2013, gerou 1.651 postos (+0,58%), terceiro melhor resultado para o mês na série do Caged e mais favorável que julho de 2012. 

Fonte: Mundo Sindical