O Banco Central começou nesta terça-feira (19) uma reunião de dois dias no Comitê de Política Monetária, para decidir a Selic, a taxa básica de juros do país, que está em 14,25% ao ano desde julho do ano passado: período mais longe de estabilidade desde 1999.

Segundo o site UOL, analistas de mercado acreditam que a taxa seja mantida nos 14,25% novamente nesta semana até o mês de outubro, pelo BC. A economia tem sofrido os impactos dos juros altos e ainda deve passar pela maior recessão da história.

Há muitas dívidas sendo renegociadas por empregas além do crescimento no índice de desemprego. A situação das contas públicas pesará na decisão sobre os juros.

Até outubro, o BC terá a chance de avaliar se as medidas propostas pelo presidente interino Michel Temer para controlar os gastos públicos serão bem-recebidas pelo Congresso Nacional.

A meta é manter a inflação em 4,5% ao ano, podendo variar entre 2,5% e 6,5%. Em 12 meses chegou ao limite máximo de 9,62%. Caso o BC suba ainda mais os juros, a economia corre o risco de encolher ainda mais tendo em vista que o país já se encontra em recessão.

Fonte: Notícias ao Minuto