Saldo positivo é de U$ 289.655.041 em setembro. Destaque para grãos, carnes e minérios. Milho protagoniza melhor desempenho

Goiás alcançou mais um resultado histórico, em um mês, da balança comercial. Desta vez, o protagonista não foi a soja e sim o milho. De acordo com o secretário estadual de Indústria e Comércio (SIC), Alexandre Baldy, as exportações chegaram a US$ 700 milhões, resultado em alta de 61% em setembro deste ano sobre igual mês de 2011.

É o segundo melhor mês de 2012, com saldo positivo de US$ 289.655.041 milhões na venda de seus produtos para compradores como Índia, Irã, Rússia, Holanda, entre outros parceiros fiéis ao balcão de negócios goianos, preferencialmente de produtos agropecuários como grãos, minérios e carnes. O saldo acumulado deste mês foi de US$ 1,1 bilhão, um novo recorde, e o acumulado de janeiro a setembro, desde 2002, somam US$ 5.359.532.684, com variação de 24% em relação ao ano anterior.

O registro do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio aponta índice superior a 37,5% nas vendas de produtos ao exterior em setembro e constata recuo das importações de 83,95% em agosto passado, para 82,38% em setembro. Os produtos farmacêuticos, veículos e acessórios, adubos e fertilizantes, equipamentos, plásticos e borrachas lideraram a lista de compras nos países de origem, conforme o quadro abaixo:

“Quando percebemos as crises internacionais, principalmente nos Estados Unidos, cujo potencial de consumo é muito alto, e cujas exportações e produção de itens que temos para oferecer se acentua, é momento de avançarmos”, disse Baldy. Ele se referiu à grande oportunidade que teve o milho goiano de ser colocado como carro-chefe das exportações, em meio à atual crise em todo o mundo. “É o momento de o nosso produto ser colocado no mercado internacional”, reforçou.

A avaliação feita pelos economistas é a de que o Estado continua mantendo a estabilidade da movimentação do mercado exportador, especialmente nesse momento em que se abrem as oportunidades de vendas decorrentes da crise de produção em países de agricultura forte, como EUA e também em que Goiás acaba de anunciar projeção recorde de 20 milhões de toneladas de grãos para a safra 2012/2013, exatamente com destaques para milho e soja. Entre os principais países de destino dos nossos produtos, ou alvos comerciais da bolsa goiana estão Japão, Coreia do Sul, Arábia Saudita, Irã, Taiwan e Egito.

Destaque

O carro-chefe das exportações neste mês, o milho, ganhou espaço no melhor momento de sua produção, com supersafra à vista, e graças principalmente à quebra de safra decorrente da seca rigorosa ocorrida nos Estados Unidos e ao fator sazonalidade. A avaliação global da tabela continuou acusando o traço de crescimento registrado em agosto passado, e ocupou relevância nas vendas externas, passando dos US$ 126,2 milhões para US$ 173,5 milhões comercializados por Goiás neste mês, o que equivale a um crescimento global de 37,5% em apenas um mês de bons negócios.

Dois produtos de referências na balança comercial goiana – a soja e as carnes – tiveram papel relevante, com valores alcançados nas exportações de US$ 148,8 milhões e US$ 133,4milhões. Outros produtos marcantes na produção goiana, como ferroligas, sulfato de cobre, couros e açúcar, somados às estrelas da balança de setembro, totalizaram o superávit de US$ 700 milhões alcançados pelos negócios em Goiás, configurando para o melhor setembro da economia goiana desde 2002, com saldo de referência de US$ 289,6 milhões.

EUA aprovam granjas no Estado

Dois integrantes da missão do Aphis, Serviço de Inspeção Animal e Vegetal do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, e dois funcionários da Embaixada norte-americana, em Brasília, estiveram em Rio Verde, no sudoeste goiano para dar continuidade à avaliação das condições sanitárias para as doenças de aves – Doença de Newcastle e Influenza Aviária.

O grupo visitou granjas de aves, sendo dois criatórios comerciais e um de subsistência. “Além de documentos, a missão avaliou os procedimentos adotados nos abatedouros e frigoríficos, verificando toda a questão sanitária, e ficou muito satisfeita com o que viu”, garante Antônio Leal. “O Brasil evoluiu muito nos últimos anos em termos de controle sanitário e produção de aves comerciais. A visita norte-americana poderá abrir mais um importante mercado para os produtos avícolas goianos”, completou Márcia Costa. A missão americana chegou ao Brasil no dia 1º e permanece no País até o dia 11 de outubro. Vai visitar ainda Brasília (DF) e Salvador (BA).

Fonte: O Hoje (GO)