Dados de janeiro foram divulgados nesta terça-feira pela CNI.Faturamento da indústria também teve queda no primeiro mês de 2013

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) informou nesta terça-feira (12) que as horas trabalhadas na produção (indicador do nível de atividade industrial) avançaram 0,8% em janeiro deste ano, contra o último mês de 2012.

Trata-se da mesma taxa de crescimento de agosto do ano passado e a maior expansão em dez meses (desde março de 2012 – quando as horas trabalhadas subiram 1,3%).

“A indústria iniciou o ano com menor ociosidade”, avaliou a entidade. Na comparação com janeiro do ano passado, o crescimento das horas trabalhadas foi maior ainda: de 1,6%.

Nível de uso do parque fabril

Com o maior nível de atividade, também subiu, no começo deste ano, o nível de  uso do parque fabril da indústria (capacidade instalada). Ainda de acordo com a CNI, o indicador terminou o ano passado em 82,9%, teve alta de 1,1 ponto percentual em janeiro deste ano, para 84%.

“A taxa de crescimento só foi superada em apenas dois meses (março de 2010 e maio de 2006)”, informou a entidade, acrescentando que a utilização da capacidade instalada da indústria situou-se, em janeiro deste ano, 2,8 pontos percentuais acima de igual mês de 2012.

Segundo Flavio Castelo Branco, chefe da Unidade de Política Econômica da CNI, o crescimento das horas trabalhadas, e do uso do parque fabril em janeiro, ambos indicadores ligados à produção da indústria, é um sinal positivo.

“Tivemos problemas com estoques excessivos no setor industrial. Isso se refletia no ritmo de produção [que estava baixo]. Os dados de estoque mostram que esse processo se encerrou no fim do ano passado e a expectativa é de que tenhamos uma correspondência mais direta entre a demanda e o aumento da produção neste ano”, afirmou o economista.

Emprego industrial recua

Apesar de a indústria ter iniciado este ano com nível de atividade aquecido, os números da CNI mostram que o emprego no setor recuou 0,2% na comparação com dezembro do ano passado. Os dados consideram ajustes sazonais.

Esta foi a primeira queda do indicador desde  agosto de 2012 – quando o emprego industrial mostrou retração de 0,3%. “O mercado de trabalho da indústria ainda não acompanhou o crescimento da atividade do setor”, avaliou a Confederação Nacional da Indústria.

Além disso, a massa salarial real teve queda de 1,8%, no maior recuo desde dezembro de 2010 (-4,7%), e o rendimento médio real do trabalhador da indústria recuou 0,4%. Neste caso, também foi a maior retração desde dezembro de 2010 – quando o indicador caiu 3,7%.

Faturamento em queda

De acordo com dados da CNI, o faturamento da indústria, que registrou alta em 2012, apesar da queda do nível de atividade e do emprego no setor, iniciou este ano em queda. No primeiro mês de 2013, houve recuo de 4,2% no faturamento da indústria contra dezembro do ano passado. Foi a maior queda mensal desde abril de 2010 (-5,2%). “A queda de janeiro reverteu quase todo o crescimento do indicador registrado no último trimestre de 2012”, informou a CNI.

Fonte: G1.com