A dica para quem vai viajar durante as festas de final de ano é ter atenção e paciência. No terminal rodoviário e no aeroporto de Goiânia, a expectativa é a de que mais de 200 mil e 229 mil pessoas realizem embarques e desembarques, respectivamente. Para evitar aborrecimentos e transtornos, a orientação é chegar aos locais de embarque com 1h30 de antecedência e não esquecer os documentos pessoais.

Considerando o movimento em geral, mais de 600 mil pessoas devem passar pelo terminal rodoviário da capital, que também abriga um centro de compras. O trânsito nos arredores pode ser um problema para quem tem hora marcada para embarcar. Gerente de operações da rodoviária, Eleir Prachedes lembra que as filas nos guichês de compra de passagens estão mais demoradas por conta do aumento do fluxo. “E ainda tem aqueles que trazem cópias de documentos pessoais e eles não são aceitos. Precisam ser originais, com foto”, explica.

A Secretaria Municipal de Trânsito (SMT) informa que tem homens controlando o tráfego na região da Rua 44, no Setor Central. Mas o aumento do número de veículos pode deixar o trânsito lento. Por isso, a recomendação é sair o mais cedo possível. A estudante Lorrana Carneiro de Oliveira, de 21 anos, tinha viagem marcada para as 17 horas de ontem. Chegou ao local com mais de uma hora de antecedência. “Está muito cheio. Foi bom vir mais cedo”, disse.

A estudante foi para Dois Irmãos, onde deverá passar o Natal com a família. Ela destaca que comprou apenas a passagem de ida com antecedência. Eleir Prachedes orienta que, se possível, o passageiro compre também o bilhete de retorno com antecedência. “Foram disponibilizados mais 1,5 mil horários de viagens, mas pelo aumento de interessados, pode ser que não encontre para o dia ou hora desejada.”

O casal Willian e Riviele Martins tiveram dificuldade ontem para conseguir seguir viagem. Vindo de Ituiutaba com a filha de apenas quatro meses, o casal se atrasou para pegar um segundo ônibus em Goiânia por conta de problemas mecânicos no veículo que saiu da cidade mineira. “Não tivemos qualquer apoio da empresa e não sabemos o que fazer. Não temos dinheiro para ficar aqui”, disse Willian.

Nesses casos, a orientação, segundo Prachedes, é procurar os órgãos de regulação, como a Agência Goiana de Regulação (AGR) ou Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT). Até o fechamento da edição, o casal ainda aguardava posicionamento da empresa, que havia informado apenas que só havia vaga para o dia 29 de dezembro. Outra opção seria que cada um seguisse viagem em ônibus diferentes.

Os destinos mais procurados em Goiás são: Anápolis, Aruanã, Caldas Novas, Goiás, Pirenópolis, Goianésia, Porangatu e Três Ranchos. No Brasil, as opções mais buscadas são Belo Horizonte (MG), Brasília (DF), Cuiabá (MT), Fortaleza (CE), Palmas (TO), Rio de Janeiro (RJ), Salvador (BA) e São Paulo (SP). Prachedes acrescenta que houve reforço de 60% no número de funcionários de limpeza, segurança e informação aos passageiros para atender a demanda.

Ele lembra que crianças com idade até 12 anos só embarcam com a apresentação do documento de identificação e se estiverem acompanhadas dos pais ou responsáveis legais. Caso contrário, é exigida a autorização escrita. No próprio terminal existe um posto de atendimento do Juizado da Infância e da Juventude onde o documento pode ser obtido. Mas é necessário que pais e os responsáveis estejam presentes. A regra também vale para viagens de avião.

Aeroporto

No Aeroporto Santa Genoveva, o fluxo estimado de passageiros desde ontem até o dia 6 de janeiro é de 229 mil embarques e desembarques. Até o momento as companhias aéreas que atendem a demanda da capital solicitaram 56 operações extras de pouso e decolagem para este período, no entanto foi solicitado cancelamento prévio de quatro voos.

Fonte: O Popular