Pesquisa do Portal SindMetalG-O revela alto índice de casos

De acordo uma enquete realizada pelo Portal SindMetal-GO, 68% dos internautas já sofreram algum tipo de assédio moral no trabalho. De acordo com a advogada do SindMetal-GO, Maria Eugênia Neves Santana, a pesquisa reflete a realidade do cotidiano nas empresas. “É cada vez maior o número de pessoas que sofrem esse tipo de dano”, afirma.


Advogada do SindMetal-GO, Maria Eugênia Neves Santana, orienta sobre assédio moral no trabalho

Segundo Maria Eugênia, o assédio moral pode ocorrer de forma coletiva – quando acontece com vários funcionários da empresa ou de um setor da empresa –, ou de forma individual. “Independentemente do caso, cabe processo na justiça”. 

A advogada lembra que existem várias formas de assédio moral. “Pode ser por pressão excessiva, por tratamento rigoroso, chacotas individuais e em público, críticas em vão e destrutivas, desmoralização, rebaixamento de função entre outras”, explica. Mas segundo a advogada o que falta é orientação quanto a maneira de apresentar na justiça o dano sofrido. “Dos casos que atendemos, dificilmente a justiça comprova porque faltam provas”, diz.

Maria Eugênia alerta que para ações nesse sentido, as provas são extremamente importantes para um resultado satisfatório no Judiciário. “É importante comprovar o assédio com um email recebido, fotos ou gravações telefônicas. Todas essas provas servem para comprovar o assédio”, orienta.

Quem sofre com problemas que caracterizam assédio moral deve procurar o seu Sindicato e buscar orientações com um profissional do Direito. A entidade, por meio de seu corpo jurídico, passará as informações e procedimentos necessários para que as pessoas que cometeram o assédio paguem na Justiça pelo crime.

 

Veja também:

>> “Assédio Moral no Trabalho” é debatido no segundo dia de Spat

>> Alimentação saudável melhora rendimento no trabalho

>> Entenda o que são as Férias Anuais

 

Fonte: Assessoria de Comunicação SindMetal-GO