Mais de cinco mil empregados da fábrica da General Motors, em São José dos Campos, cruzaram os braços por tempo indeterminado nesta segunda-feira, 10 de agosto. A greve foi aprovada em assembleia realizada pelo Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos na manhã de hoje, em protesto contra 250 demissões anunciadas pela empresa no último sábado.

O descaso e a falta de humanidade por parte dos empresários causaram revolta, já que os empregados souberam das demissões por meio de telegrama, em pleno final de semana e sem qualquer aviso prévio. Para piorar, todos os trabalhadores demitidos foram orientados a não realizar o exame médico demissional.

Com a paralisação geral aprovada, o sindicato busca a anulação das demissões anunciadas pela montadora e garantir a estabilidade no emprego. Ao todo, cerca de 750 operários da unidade estavam em layoff (suspensão temporária de contratos) e deveriam ter retornado à fábrica hoje – os funcionários demitidos não fazem parte deste grupo.