Levantamento foi divulgado ontem pelo IBGE. Estado ficou bem à frente do DF, o 2º colocado

Em três anos, o quadro de empregados em Goiás cresceu em mais de 239 mil trabalhadores, graças à criação de um número de empresas e de outras organizações 20,2% maior, segundo informações do Cadastro Central de Empresas (Cempre), com dados de 2010, divulgadas ontem, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Entre 2007 e 2010, Goiás também foi destaque no Centro-Oeste, com 239 mil vagas geradas a mais, bem acima do Distrito Federal, segundo colocado na região, com quase 160 mil vagas.

Neste período, o número de ocupados assalariados cresceu em 23,8%, acima do percentual registrado no País – 17,3% – e também maior que a média regional, 19,9%. O quadro de empre­- sas e organizações foi ampliado em 20,2% no Estado e em 16,4% no País. O número de ocupados no Estado cresceu 6,6% entre 2009 e 2010, enquanto o número de estabelecimentos foi ampliado em 7,6%.

De um ano para outro, entre 2009 e 2010, Goiás somou mais de 81 mil trabalhadores graças à criação de mais de 10.300 estabelecimentos em todos os setores. Com os números, mais uma vez o Estado mostra avanço acima da média registrada no País. Na soma das 27 unidades da federação existem mais de 5,5 milhões de estabelecimentos que empregam 49,7 milhões de pessoas. O crescimento entre 2009 e 2010 foi de 5,9% no número de estabelecimentos e de 6,9% no quadro de pessoas empregadas.

Supervisor de Pesquisa Econômicas do IBGE em Goiás, Edson Roberto Vieira lembra que os números traduzem uma dinâmica econômica importante que coloca o Estado em destaque em quase todas as variáveis abrangidas pela pesquisa. “Goiás teve dinâmica econômica de destaque tanto no que tange a geração de empregos quanto no número de estabelecimentos criados”, pontua ele.

Conforme o levantamento, Goiás detém 40% das empresas e outras organizações do Centro-Oeste e 2,9% do País. Já com relação às pessoas ocupadas 36,6% do total regional estão Estado e 2,87% do volume de ocupados do País. Goiânia possui 56 mil estabelecimentos e mantém 622 mil pessoas ocupadas, sendo 551 mil assalariadas.

Entre 20 setores e seus segmentos pesquisados pelo IB­GE, quase 50% dos estabelecimentos goianos são da área de comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas. Esse setor foi responsável por 23,5% do total de pessoas ocupadas no Estado. Na sequência aparecem as indústrias da transformação e atividades administrativas e ser vi­- ços complementares.

Fonte: O Hoje (GO)