Olá, companheiros e companheiras! Sei que vocês já estão sabendo do aumento salarial de 2017 para a categoria metalúrgica e de material elétrico. Me senti na obrigação de escrever sobre alguns pontos importantes esclarecer as informações. Primeiro, quero dizer que entendo a indignação, afinal, ser metalúrgico não é fácil. Trabalhei na função de dobrador de chapa metálica há 17 anos e sei o trabalho árduo e a desvalorização diária da nossa categoria. Eu entendo vocês.

Segundo, quero que compreendam como foi todo o processo de negociação com o sindicato dos patrões para perceber que a briga não deve ser com o SindMetal-GO. Iniciamos a Campanha Salarial no final de 2016 e protocolamos a pauta de reivindicações do trabalhadores em janeiro de 2017.

A primeira reunião de negociação com o sindicato patronal foi em fevereiro e eles apresentaram apenas 60% da inflação, que significaria 2,75% de aumento salarial. E nós não aceitamos, claro! Depois de negarmos e insistirmos, na segunda reunião, eles já pediram 80% do valor inflacionário, que, na prática, daria 3,65% de reajuste. Por ser abaixo da inflação, não aceitamos novamente. Por fim, apresentaram o valor no índice da inflação e, após negarmos novamente, decidimos que o aumento seria acima do valor inflacionário.

Tivemos ganho em comparação ao ano passado. Naquele período, a inflação estava em 9,91% e o aumento foi o mesmo valor de 9,91%, ou seja, apenas o índice da inflação, sem aumento real. Neste ano, o valor inflacionário está em 4,57%, com o aumento de 5%, temos cerca de 9,40% acima da inflação. Reafirmo que, sem a intervenção do SindMetal-GO, o reajuste salarial seria ainda menor.

Os patrões, meus amigos, não têm dó nem piedade dos empregados. Afirmo convicto porque todos os dias tenho contato direto com eles. A solução não é ir contra o seu sindicato e sim àqueles que querem sempre retirar direitos de vocês. Eu estou sempre disposto e tirar dúvidas, receber críticas, elogios e conversar.Podem vir até o SindMetal-GO quando quiserem ou me procurar em algumas das visitas que faço nas empresas. Não desistam de vocês. Obrigado! Não desistam de vocês. Obrigado!

Goiânia, 30 de maio de 2017.

Eugênio Francisco de Oliveira