(Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)

Brasília está vivendo um verdadeiro caos e ainda assim o Senado insiste em votar a Reforma Trabalhista que vai precarizar os direitos dos trabalhadores. A votação do parecer do senador Ricardo Ferraço, que prevê mudanças nas leis trabalhistas, poderá ser nesta terça-feira (30). Os parlamentares da oposição tentam adiar a análise do documento para semana que vem.

“Eles não estão conseguindo organizar nem o Congresso, quanto mais decidir por milhões de trabalhadores quais serão os nossos direitos. É um absurdo!”, manifesta o presidente do SindMetal-GO, Eugênio Francisco. Vários deputados, senadores e assessores políticos estão sendo acusados de corrupção por delatores da Operação Lava-Jato. O presidente da república, Michel Temer, mesmo tendo sido denunciado pelo empresário da JBS por coagir com o pagamentos de propinas, insiste em permanecer no cargo.

Saiba o que muda com a reforma trabalhista

Na votação de ontem (29), antes mesmo de o senador Ricardo Ferraço iniciar a leitura do parecer, no qual recomenda a aprovação do projeto, a sessão foi suspensa após confusão. Senadores bateram boca e os ânimos ficaram exaltados a ponto de seguranças terem de separar parlamentares que gritavam uns com os outros, trocavam xingamentos e até empurrões.

Com informações do G1

Por Lorrany Castro