Próximo à votação da Reforma Trabalhista, jornal afirma que Temer deu aval para compra do silêncio de Eduardo Cunha

Os donos do frigorífico JBS, Joesley e Wesley Batista, afirmaram em deleção premiada que gravaram o presidente Michel Temer dando aval para a compra do silêncio do ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que continua preso após investigações da operação Lava Jato. As informações publicadas pelo colunista Lauro Jardim, do jornal “o Globo” caíram como uma bomba no País, na noite da última quarta-feira (17). Até o o fechamento deste reportagem não há informações que a delação foi homologada, o que comprovaria a existência dos áudios.

Ainda segundo o jornalista, no dia 7 de março deste ano, Joesley se encontrou com Temer, no Palácio do Jaburu. O dono da JBS afirmou ao presidente que estava dando mesada a Cunha e seu operador, Lúcio Funaro, para que os dois ficassem calados diante às investigações. Posteriormente, Michel Temer teria dito: “tem que manter isso, viu?”, dando aval ao empresário.

Veja a nota oficial do presidente Michel Temer

O balde de água fria na Reforma Trabalhista

A notícia sacudiu o País e tem causado movimentação no Palácio do Planalto, em Brasília. Há poucas semanas, deputados votaram a favor do texto-base da Reforma Trabalhista, proposta por Michel Temer. A medida tinha planos de ser aprovada o mais rápido possível, mas agora está estremecida após o escândalo envolvendo o presidente do Brasil.

Caso a delação seja homologada comprovando que Temer sabia da mesada de Cunha, a força popular ganhará ainda mais espaço e visibilidade. É o momento certo para que trabalhadores se unam e impeçam a aprovação da Reforma e os cortes dos direitos. As propostas do presidente, em grande parte, beneficia apenas os empresários, o que prova, mais uma vez, o modo elitista que Temer governa o País.

Dia 24 de maio, será realizada uma grande marcha em Brasília contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária. Sindicalistas, movimentos populares e trabalhadores se reunirão na capital. O SindMetal-GO irá disponibilizar, na sede da entidade, um ônibus para levar qualquer trabalhador que esteja interessado em participar. Para fazer a inscrição é só ligar no (62) 3224-7277 e falar com a Vera.

A continuação da conversa entre Temer e Joesley

Joesley, para finalizar a conversa, teria pedido o auxílio de Temer para a solução de uma pendência na J&F no governo. O presidente aconselhou o empresário a procurar Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) para resolver o problema. O homem de confiança do presidente ocupou a vaga do ministro da justiça em março deste ano.

– “Fale com o Rodrigo”, disse Temer. “Posso falar tudo com ele?”, perguntou Joesley. “Tudo”, finalizou Temer. Em outra reunião, Loures combinou com o diretor da JBS, Ricardo Saud, o pagamento de R$ 500 mil semanais por 20 anos, o que somaria R$ 480 milhões. Posteriormente, Rocha Loures foi filmado recebendo uma mala com R$ 500 mil, enviados por Joesley.

Aécio Neves também foi incluso nas investigações. O senador foi gravado pedindo à Joesley R$ 2 milhões para pagar despesas com sua defesa na Lava-Jato. O dinheiro teria sido entregue a um primo do senador. As gravações foram realizadas pela Polícia Federal, que colocaram número de série controlados nas cédulas e chips de rastreamento nas malas.

Veja a nota oficial do senador Aécio Neves

Por João Paulo Dantas