Na sexta-feira, 28 de abril, o SindMetal-GO paralisará suas atividades e sairá às ruas para aderir à greve nacional contra as reformas Previdenciária, Trabalhista e a Lei da Terceirização. O movimento ocorrerá simultaneamente em todo o País e é liderado por entidades e centrais sindicais. O protesto busca chamar a atenção do Governo para a insatisfação dos representantes sindicais em relação às propostas apresentadas pelo presidente Michel Temer. 

Em Goiânia, o Fórum Sindical contra as Reformas Trabalhista e Previdenciária lidera o movimento. Segundo os organizadores, o ponto de encontro será às 8h, na Assembleia Legislativa de Goiás. Folhetos explicativos sobre as reformas, carro de som, banner e cartazes irão alertar a população sobre as propostas de mudanças. Às 9h, a caminhada seguirá pela Praça Cívica em direção à Praça do Bandeirante, onde deve finalizar após discursos dos sindicalistas.

Outras entidades sindicais irão protestar em pontos estratégicos da cidade, como garagens, terminais de ônibus e rodovias. O presidente do SindMetal-GO e também organizador do protesto, afirma que o objetivo é unir forças com a população. “A paralisação é uma forma de falar ao Governo que somos contra as mudanças que retiram ou precarizam os direitos dos trabalhadores”. Essa não foi a primeira mobilização da classe sindical. No dia 31 de março, mais de 12 mil pessoas manifestaram em diversos locais da cidade.