O Departamento Jurídico do SindMetal-GO patrocinou uma reclamatória trabalhista em favor dos empregados da empresa Elevadores Atlas Schindler S/A, depois de denúncias apresentadas por eles alegando exercer atividades que trazem riscos à vida sem receber o corresponde adicional previsto em lei.

A ação correu na 17ª Vara do Trabalho de Goiânia, tendo o juízo determinado em sentença que a multinacional deveria pagar o adicional de periculosidade para os empregados que exercem a função de técnico de atendimento avançado. A decisão ainda obriga a empresa a pagar o adicional retroativo dos últimos cinco anos e a criar o PPP (Perfil Profissiográfico Previdenciário) dos beneficiados, que poderão ter aposentadoria especial.

A advogada Maria Eugênia Neves Santana, que propôs a ação, não se diz satisfeita e recorreu da sentença. Ela quer que o benefício contemple todos os técnicos que trabalham com rede energizada, e não apenas os técnicos em atendimento avançado. “O processo movido contra a empresa foi independente do nome da função”. Ela lembra que em nenhuma região do Brasil a multinacional tem o adicional de periculosidade. “Temos muitos trabalhadores no Brasil inteiro esperando o resultado desse processo para que possam correr atrás dos seus direitos”, afirma.