Considerado a maior bandeira do governo petista e, até então, imune aos ajustes orçamentários feitos pelo governo em decorrência da crise econômica, o programa Bolsa Família pode sofrer corte de R$10 bilhões no ano que vem. A decisão foi anunciada pelo relator do projeto de Orçamento 2016, deputado Ricardo Barros, ao ministro da Secretaria de Governo, Ricardo Berzoine, em encontro realizado nesta segunda-feira, 19 de outubro.

O valor representa um corte de 35% no atual orçamento do Bolsa Família. A ideia do relator é impedir o ingresso de novos beneficiários, mas manter as famílias que estão cadastradas atualmente no programa. “Esse corte é para não ter novos ingressos. Quem sai, não retorna. Quem fica, fica. Não vamos tirar ninguém do programa”, afirmou o parlamentar ao portal de notícias G1.

O projeto ainda precisa ser votado pela Comissão Mista de Orçamento e depois submetido ao plenário do Congresso Nacional. Vale lembrar que, desde o começo de 2015, com a justificativa de equilibrar as contas, o Governo já mexeu nos direitos dos trabalhadores e defende, até mesmo, a volta da CPMF. Mas o orçamento destinado ao Bolsa Família continua intacto.